terça-feira, 23 de junho de 2009

Enxergando com um "binóculo"


Nesse texto realizei algumas analises sobre o filme “A Primeira Vista”, com pesquisas em livros e artigos.
O que enxergamos?
Na verdade não enxergamos nada, tudo que enxergamos muitas das vezes é superficial, dizem que os cegos não enxergam, na verdade eles enxergam melhor, pois eles não só "enxergam", eles sentem o que estão vendo. Porque a única diferença é que eles não têm visão, sentem tudo o que tocam e muitas vezes com o coração.
Devemos a cada dia começar a enxergar as coisas de uma forma diferente procurar entender o que realmente elas podem significar. Vivemos na escuridão e não olhamos para o que é verdadeiro em nós.
No filme “A primeira Vista” de Val Kilmer, nos mostra essa intensidade que alguns cegos podem enxergar muito melhor do que nós. Estou falando de “enxergar” e não de ter "visão".
O filme fala da dificuldade de um cego em nossa conturbada sociedade, e uma abordagem de uma vivência dissociada dos estímulos e signos visuais.
Podemos dizer que enxergar não depende somente do aparelho visual (entenda aparelho visual como olhos, nervos e ligações olhos-cérebro), mas sim de aprender a enxergar e discernir formas. Por isso, ainda crianças não enxergamos muito bem e começamos a usar o tato para descobrirmos as coisas (signos).
Todas as crianças passam pela fase ‘Fálica’, - período de identificação- , e começa as associações de uma representação mental com a realidade física – daquilo que está na mente, com aquilo que se encontra no mundo externo. – No entanto mostra também que muitas vezes não enxergarmos nada afinal, pois também você não precisa só da visão para enxergar, você tem vários sentidos e com o tempo eles vão se amadurecendo e ficando melhor para descobrir coisas.
Alguns exemplos quando nós lemos qualquer livro, você está lendo, mas você não está vendo o que acontece logo em seguida algumas imagens começa aparecer em nossa mente, e você começa a imaginar, "enxergar" o que está escrito naquele livro. O valor da beleza, no qual, a beleza pode ser enxergada de várias formas e você não precisa ver para sentir a beleza de alguém ou de algo(alguma coisa).
É frequente que as pessoas atribuam ao indivíduo cego uma percepção privilegiada nos demais sentidos em função da carência da visão. Mostra também que podemos se adequar a várias formas de vida, teremos alguns problemas, mas podemos adquiri outros sentidos que possam ajudar a nós enxergar sem ter visão. Podemos dizer então que enxergar sem visão, é muito melhor que as pessoas que tem visão. Comecemos abrir os olhos e comecemos ver as coisas diferentes.

2 comentários:

Arthur, o do Boteco! disse...

Eu assisti este filme do Val Kilmer. Ele é uma boa lição de vida...Parabéns pelo post Franklin, continue escrevendo assim!

Fulvio Quem? O.o disse...

aew... bl? bem legal o blog..
passa no meu lá!!1 www.bananologia.blogspot.com

vc tem orkut?
abração